top of page

A burocracia dentro da importação



A importação no Brasil é muito burocrática e exige conhecimento tributário, porque há a incidência de diversos impostos sobre o produto a ser comprado no exterior, com impacto direto nos custos e no preço final da mercadoria vendida no mercado interno. Primeiro é importante definir se será uma importação via remessa expressa ou formal. O que é isso? Remessa Expressa nada mais é que uma importação com valores que totalizam até 3 mil dólares. Nesse valor devem estar incluídos o valor do produto em si, os valores de frete e também o seguro. Precisa ser feito com empresas habilitadas (Fedex / UPS / DHL / etc). É mais simples, pois não precisa de Radar, DI, despachante aduaneiro. Se for esse o caso precisa-se considerar 60% de Imposto de Importação sobre o valor CIF (Mercadoria + Frete + Seguro). E ICMS, se for SP, 18%, e nesse caso a base de cálculo também incluí o imposto de importação.

E a importação formal é mais complexa para calcular os impostos. Produtos diferentes terão impostos diferentes (o NCM que indica qual o percentual do imposto), então se precisa saber de algum produto / projeto específico, fale conosco @martinsloginternacional e lhe auxiliaremos com tudo.

Além dos impostos, devem ser considerados também os seguintes custos que variam de acordo com a empresa e operação: - Frete internacional - Seguro - Armazenagem no Porto ou Aeroporto - Despachante Aduaneiro - Transporte do Porto ou Aeroporto até sua empresa Podem haver outros custos como: Inspeção na origem, corretora de câmbio, LI, anuência Anvisa, Mapa, entre outros. Sugestão: Considere entre 80% a 100% do valor da carga com todas as despesas logísticas e impostos. Depois adicione sua margem de lucro e veja se vale a pena o projeto!

bottom of page